Alone Together

Na lista de Leituras Essenciais da Luzio, adoramos e recomendamos o livro “Alone Together: Why We Expect More From Technology and Less From Each Other“. Trata-se de uma obra prima da Sherry Turkle, Socióloga e Professora líder da cadeira de Cultura Tecnológica do MIT (Ciência, Tecnologia e Sociedade). Sherry é fundadora e diretora do Centro de Estudos do MIT sobre Tecnologia e o “Self”. Há anos temos acompanhado seus estudos extraordinários sobre o impacto da tecnologia na vida em sociedade. 

Neste seu último livro, Sherry demonstra que as mídias sociais e os robôs sociáveis estão agindo como “arquitetos das nossas intimidades”. Sugados por uma ilusão de companhia sem ter de arcar com as demandas da intimidade, confundimos as postagens e o compartilhamento online com comunicação autêntica. Sacrificamos a conversação face a face, no mundo real do cotidiano, em troca de uma ilusão de conexão à distância. Estamos o tempo todo juntos (Together) com nossas centenas (e para alguns milhares) de seguidores.

Mas, na prática, nunca estivemos tão sozinhos (Alone)… Temos centenas de pessoas curtindo o que postamos, trocamos mensagens com gente de todos os lados do mundo, mas passamos a maior parte do tempo sozinhos. E quando estamos acompanhados de amigos, filhas, namorada ou esposa, num jantar supostamente para ser uma oportunidade de integração, a “Síndrome da Conectividade Permanente” nos arrasta para o smartphone, só para dar uma olhadinha no Face… E em fração de segundos, somos catapultados daquele lugar para outro muito distante dali, quebrando a conexão real para manter vivo aquele vínculo tão absolutamente virtual e fugaz. Nas reuniões de trabalho e nos workshops, há tempos desistimos de proibir as pessoas de fazer o mesmo, porque parece ser insuportável ficar 10 min distante do mundo virtual.

Por um lado, as tecnologias e mídias digitais abriram janelas fascinantes para o mundo, promovendo reencontros com pessoas que há tanto tempo nos desconectamos; tornaram as pessoas editoras de si mesmas; multiplicaram nosso poder de mobilização social; proporcionaram a emergência de novos modelos de negócios encantadores; e tornaram nossa vida muito mais fácil e conveniente; apenas para citar alguns de seus benefícios. Mas por outro, amplificaram “the emptiness of us” – o vazio de todos nós.

Vale a pena ler o alerta de Sherry, que propõe um caminho do meio que ainda temos tempo e o dever de traçar em nossas vidas…


Compartilhe: